Comentários Digestivo Cultural
Guto Maia*
 Comentários no Digestivo Cultural - 2008
 
 
1. Quintana, um homem brilhante
"Nada mais digestivo (e alimentador!) que frases inteligentes... Enciclopédias são escritas e mentes brilhantes (como Mário Quintana) sintetizam-nas em uma frase..."
[Sobre "Frases de Mario Quintana"]  30/3/2008
 
2. Aos que não vivem em Marte
"Quem não vive em Marte, já percebeu que a Terra está girando mais rápido... Texto impecável!"
 
3. Essa guerra é santa
Parabéns pelo texto e pela coragem! O que posso concluir da sua lucidez, com otimismo, é que todos sairemos ganhando nessa guerra, onde os cultos não dominarão os incultos (por serem cultos e não precisarem disso...), e o lixo, a História se incumbirá de reciclar e transformá-lo em algo que se aproveite... nem que seja para dar empregos a garis e pesquisadores. A julgar pelo tamanho da Livraria Cultura, no Conjunto Nacional - fundada em 1948 pela alemã Eva Herz (1912-2001), que hoje conta com mais de 2 milhões de títulos, a leitura vai muito bem. Então, estamos ficando mais cultos(!), e críticos(!), e isso é bom pra todo mundo, e nossas escolhas se aprimorarão. Então, a guerra é santa, e todos sairemos vencedores, nem que nos sintamos derrotados pela seleção natural, tão cruel quanto necessária, e sobretudo inevitável, que colocará cada um no seu devido (e merecido) lugar... Um holofote no fim do túnel(?)... e, não é o trem...! 
 
4. Todos devem conhecer
"São Luiz do Paraitinga sempre foi tudo de bom... Todos devem conhecer! Abraço."
[Sobre "Semana da Canção Brasileira"]  4/4/2008
 
5. Qual é a próxima?
"... já pras feiras!"
[Sobre "Rodrigo Capella em turnê"]  4/4/2008
 
6. Não haverá saida?
"A sensação incômoda que dá é que só resta lamentar..."
 
7. Status é status
Nada como a posição social do indivíduo...
[Sobre "Porque assim é São Paulo"]  9/4/2008
 
8. Cada qual com seu cada um...
"Quem não estuda, não se aprimora, não se informa, não se atualiza, não se recicla, não tem firmeza, não tem dedicação, não tem perseverança, não tem missão, não tem paciência, não tem determinação, não é solidário, não tem competência, não tem talento, está preocupadíssimo..."
[Sobre "Blog precisa ser jornalismo?"]  11/4/2008
 
9. melhores: na Web
"Quem escreve bem no Brasil são os mais bem informados, e estão na internet, sem exceção! Quem não escreve bem, poderá fazê-lo pesquisando na própria internet... Quem escreve "melhor", vai do gosto e do momento de cada um... " [São Paulo - SP] 
[Sobre "Promoção Escrever Bem"]  15/4/2008
 
10. Paixão e obsessão
"Paixão é uma obsessão positiva. Obsessão é uma paixão negativa." (Paul Carvel) [São Paulo - SP]
[Sobre "Promoção Mario Quintana"]  18/4/2008
 
11. Vestindo a carapuça..
"Se eu não conseguir ser imortal até o fim da vida, prefiro não morrer! O que seria do marrom, não fossem os daltônicos? Em terra de cego quem "diz" que tem um olho é o rei... Por outro lado, usar óculos significa enxergar mais? Dê-me um link e te direi quem és... Alguém tem um conteúdo pra emprestar???"
[Sobre "Jovens blogueiros, envelheçam"]  20/4/2008
 
12. Blog bom é coisa de velh
"Bons blogs é coisa pra velhos, prefiro continuar jovem!"
[Sobre "Jovens blogueiros, envelheçam"]  20/4/2008
 
13. Diogo, o Alquimísta
"Diogo é um alquimista que desenvolveu a fórmula certa..."
[Sobre "Diogo Mainardi"]  21/4/2008
 
14. Resultados (in)críveis
"Rapidez, Contextualização, Confiabilidade, Pesquisa, Confronto, Imediatismo, Interatividade, Baixo Custo, Revisão em Tempo Real, Agilidade, Avaliação Estatí­stica em todos os níveis, Resultados Críveis e Visí­veis, Formação de Opinião mais eficaz!" [São Paulo - SP]
[Sobre "Promoção Jornalismo na Internet"]  21/4/2008
 
15. Aprendendo com seus erros! 
"Bacana, mesmo! Realmente qualquer convite, hoje em dia, é pra se ficar com os dois pés atrás... Sempre tem segunda intenção... Muito boa a dica. Indica onde há troca de idéias com outros que também se arriscam no novo! Como aprendemos com nossos erros e com os erros alheios, e, como os "alheios" erram muito mais que a gente (!), a chance de chegar à "perfeição" é muito grande (risos)! Abraço."
[Sobre "Meu primeiro Camp"]  22/4/2008
 
16. Onde é a guerra?
"Credibilidade é coisa conquistada (até pra si próprio). Conflito é inerente. Polêmica é provocada. Burrice é de berço... Só iguais se digladiam... senão é massacre! Os analfabetologs, ou cyberasnos, ou infostúpidos nem percebem essa "guerra"!"
 
17. Geração histórica
"Boa! É verdade. Já fazemos parte de uma geração histórica! Contaremos isso para nossos tataranetos, que acharão incrível saber que em São Paulo, em 2008, havia prédios(!)..."
[Sobre "Sobre o terremoto em São Paulo"]  23/4/2008
 
18. Oba, oba!
"Eureka! O "Bonde da História" se torna uma "Barca Furada" diante do "Trem das Evidências!" Maravilha! Nós, que há bem pouco tempo nem sabíamos o que era "lifehaking" (ontem, pra ser mais exato!), hoje já nos sentimos estimulados a vestir a camisa!"
[Sobre "Revista Feed-se"] 24/4/2008
 
19. Silogismo sem síntese
"É verdade! Graças a Deus, existem pessoas que pensam (e escrevem!) como você, sobre o tema... É Deus no céu, pra você; e Lula na Terra, pro Diogo!"
[Sobre "Incoerente"]  25/4/2008
 
20. Big Brother também é cultura!
"Tudo que você diz tem lógica... Não sei se "preconceito" é a melhor definição para não relaxar e gozar o BBB. De qualquer forma, seu blog ganhou mais um fã. Abraço."
[Sobre "O momento Rafinha de todos nós "]  28/4/2008
 
21. Beta grande x Beta pequeno
"Verdade. Toda interação será sempre saudável. Um aquário com um Beta pequeno ao lado de um aquário com um Beta grande, faz com que os dois fiquem agressivos, cresçam de tamanho para exibir força, mas nunca se tocarão. Mas também nunca ficarão apáticos..."
[Sobre "Jornalismo de todos para todos"]  28/4/2008
 
22. O caminho de Santiago!
"Você deu o caminho das pedras... preciosas! Claro e didático. Muito bom!"
[Sobre "Dicas para você aparecer no Google"]   29/4/2008
 
23. Vai encarar?
"Rafael, também acho desnecessário reafirmar sua posição. Esse texto mexeu com todo mundo e, principalmente, com você, penso. Quem não entendeu a primeira leitura, talvez não mude de opinião. Só não concordo com os comentários que ofendem os autores dos textos com palavras pesadas, como li contra seu texto. Conversamos sobre idéias e pontos de vistas, e não sobre pessoas, e o respeito é fundamental. Seu texto é ótimo, mas se for feito um "ranking" dos títulos mais eficientes do Digestivo, certamente o seu estará entre os 10 melhores. É impossível passar batido por ele. Abraço."
 
24. A chave do cofre!
"Muito boas dicas! Um pouco de sorte também ajuda. Mas, quem junta tudo o que possui de bagagem de conhecimento, habilidade e informação à coragem de arriscar, corre o risco de descobrir a melhor coisa do mundo: trabalhar com independência no que gosta! E ganhar muito dinheiro..."
[Sobre "Emprego? Exercite o desapego"]  8/5/2008
 
25. Dignidade é o melhor cartão...
"Seu texto é muito pertubador! Acho que 80% dos brasileiros compartilham do seu sentimento de descrença, quando passam pela falta de trabalho. A maioria já passou e passará, infelizmente, por momentos onde tudo parece menos colorido. O mais desalentador é conhecer os números que envolvem ganhos "extras" de políticos, traficantes e contrabandistas... Chegamos a desanimar... mas todo jornalista tem que ter fé. Aposto que antes de chegarem todos os comentários do seu dasabafo, você terá recebido uma proposta digna de trabalho. Boa sorte!"
[Sobre "Diário de uma desempregada"]  4/5/2008
 
26. Silêncio é síntese
"Quanto mais os silêncios na música, na literatura, na pintura, na vida forem valorizados, tanto maiores serão as descobertas do prazer... O silêncio é sublime. Subliminar..."
[Sobre "Get your flight... lounge music"]  4/5/2008
 
27. Madrastas, cuidem-se!!!
"Sim, mais doente. A Sociedade está doente, e o maior sintoma disso é o aumento dos crimes com requintes de crueldade, praticados por pessoas aparentemente normais. Essas pessoas são "laranjas" do destino, e representam o reflexo do quanto nossa Sociedade (mundial) está emocionalmente perdida. Quando acontecem casos como o da Isabella, ou da Austria, todos nos chocamos, mas todos os dias crianças são assassinadas, todos os dias descobrem-se pessoas encarceradas e violentadas, todos os dias o transito mata tanto quanto numa guerra. É preciso que todos façamos alguma coisa. As mulheres estão também mais violentas, e isso é só a mais cruel constatação dessa doença social. Infelizmente agora, as mulheres começam a equiparar-se aos homens também no que temos de pior: a força bruta! Faz-se necessário uma reflexão, especialmente, no próximo domingo. Abraço e bom Dia da Mães, apesar de tudo![Sobre "Há algo especialmente podre..."]  9/5/2008
 
28. Aos e-trancos e e-barrancos 
"Após a "explosão do e-learning ou ensino à distância no Brasil (que só perde para o e-commerce)", certamente aos e-trancos e e-barrancos, o Brasil vai agregar conhecimento e informação consistentes ao chamado Ensino formal. Os avanços nunca foram (nem jamais serão) homogêneos, mas serão inversíveis..."
 
29. Palestra Etílico-brumosa
"Todo mundo pensa que fazer humor no Brasil é moleza, pois o Brasil já é uma piada em sí. Todo mundo acha que quem faz humor on-line é irresponsável, bêbado, porra-louca, fumante inveterado, mulherengo, putanheiro (com perdão da boa palavra!, que só fala merda (idem, nem tanto!), espalha boatos e só quer escrachar todo mundo. Eu também pensava até assistir a paletra do Dahmer&Branco&Martins. Aí, eu tive certeza absoluta! Foram duas horas etílicas, com visibilidade quase zero, de tanta fumaça (sabe-se lá como a noite terminou...), e centenas de palavras de baixo calão(!), que não sei como saírão na edição do Julio. Mas, principalmente, descobri que existe vida inteligente antes, durante e depois da ressaca! Pois hoje, pelos blogs de cada um, vi que estão vivos, e chegaram ao Rio a salvo (não sei como!). Foram duas horas históricas! Exagero? Talvez. Aqueles senhores todos daquela foto do fundo foram testemunhas, e nós da platéia também. O futuro dirá." 
[sobre "Internet & Humor, by MarioAV"]  21/5/2008
 
30. A luz das palavras
"O Ciclo de palestras "Palavra na Tela" foi leve e divertido, sem deixar de ser didático e esclarecedor. Os profissionais bem sucedidos da Rede que se apresentaram trouxeram luz a muitas dúvidas mas, sobretudo, sugeriram atitudes para quem quer aprofundar a experiência em Internet: missão, reputação, lógica, personalização, coerência, credibilidade, conteúdo além de incontáveis horas, cara a cara com o computador, são dicas fundamentais tiradas desses encontros. Para quem quer mais, vale à pena conferir os áudios das palestras! Abraço."
[Sobre "Internet & Humor, by MarioAV"] 2/6/2008
 
31. A verdade é sempre cruel
"Márcia, você está mais afiada do que nunca! Sou seu fã desde os outros cometas. Depois desse ciclo de publicações vazias a que você se refere, só uma coisa não mudou absolutamente nesses anos: a sua verve cáustica, mordaz e certeira, que sem rodeios junta vaca gorda e cavalo manco no mesmo curral. A verdade é sempre cruel, mesmo pra quem não a percebe. Que dirá pra quem não a aceita? Beijos."
 
32. Machado e heresia
"Não gostar de Machado de Assis soa tão herético quanto criticar um livro de Jô Soares. Mas isso, demonstra pelo menos três aspectos positivos: Machado e Soares foram lidos; qualquer unanimidade é burra; vivemos numa democracia... Talvez um quarto seria: gosto não se discute?"
[Sobre "Não gostar de Machado"]  7/6/2008
 
33. Internet na veia! 
"Interessante, Carlos, na época dos hippies, a culpa das frustrações era do "Sistema" (um monstro sem cara)! Hoje, a culpa continua sendo do "Sistema", que cai, que erra dados, e, pior, que cria psicopatas, psicóticos e desajustados, como se eles só tivessem começado a existir com a Internet... O homem, na sua prepotência infantil, costuma transferir suas incompetências e patologias para sistemas complexos e máquinas assustadoras sem identidade, isso o redime do inexorável dever de enfrentar a própria incapacidade e ser derrotado. Culpar a Internet por distúrbios e medicá-los com drogas, como você descreve no seu artigo, é tão simplista quanto creditar à metralhadora os traumas pós-guerra. Os críticos dos avanços da Internet sentenciaram: "O homem nasce bom, a Internet o deturpa!" E assim, caminha a desumanidade..."
[Sobre "Viciados em Internet?"]  25/6/2008
 
34. Blogs na mosca!
"O texto hábil e fluído do Giron disseca com precisão cirúrgica a atual cena de paixão dos blogs pelo jornalismo/literatura, e vice-versa; remetendo à imagem de um mestre dissecando cadáveres, para que os alunos, uns com mais ou outros com menos estômago, possam no futuro se tornar, ou não, grandes cirurgiões; salvar, ou não, vidas; e se mostrar, ou não, competentes e éticos em relação à saúde social. O bizarro, lembrando Hunter S. Thompson sobre bizarrices, é que se proliferará, queiramos ou não: uma classe de cabeças de insetos profissionais." 
[Sobre "A blague do blog"]  25/6/2008
 
35. Epitáfios são interessantes! 
"Mesmo com assessoria competente, as biografias familiares são criadas por caricaturistas verbais, como você diz, e mesmo considerando que todos os que fazem literatura o são, essas biografias levam-se demasiado a sério, pretendem incrustar personagens insossos num recorte histórico, e fazer crer o quanto são benevolentes esses personagens reais em compartilhar sua grandiosidade pessoal. O resultado é inconsistente. As contendas geradas no seio da família biografada são outras histórias, talvez muito mais interessantes..."
[Sobre "Biografias da discórdia"] 14/7/2008
 
 
36. Viva a crise!

"Sob o ponto de vista de "benção", a crise criou grandes obras de arte, grandes inventos, corporações, incrementou o intercâmbio cultural e o turismo. A necessidade faz a ação... Viva a (e sobreviva à) crise!" 

[Sobre "Bem-vindo à sua crise, de Laura Day"]  18/7/2008

 

37. Encontro com mestres

"Por sinal, o programa é uma aula de bom gosto." 

[Sobre "O som na cabeça"]  22/7/2008

 

38. Antigamente é que era bom

"Essa frase demonstra apenas o saudosismo babaca de alguém ensimesmado. Vivemos um momento de inclusão, onde até as amebas podem manifestar-se. Isso é positivo. O "certo" e "errado", o limite de bom senso de cada um determina. Quem não se sente ameba, mas se arma de juízo de valores preconceituosos e tendenciosos, sai machucado. Temos mais voz ativa hoje do que ontem. Podemos desperdiçar nosso tempo: a) simplesmente perseguindo alguém que cria abelhas, no twitter; b) comentando um poema "lifehaking"; c) ou usá-lo num texto de vingança de 6042 caracteres, em 1038 palavras, para descrever o encontro pessoal de uma escritora-mineira com um jornalista-carioca-metido-a-sabichão, num boteco-paulistano, o que não interessa pra ninguém - as 3 coisas. O desafio do twitter, e o Rafael indicou, é expressar-se em 100 caracteres, o que estimula a capacidade de síntese e demanda raciocínio relevante. Isso é positivo. Quem não se expressa em 1 frase, gasta 1000 justificando o óbvio." 

[Sobre "Twitter e as amebas"]  24/7/2008

 

39. Crível para Céticos

"Julio, o seu espírito empreendedor produziu um acervo riquíssimo nesses 10 anos, em quase todas áreas do Pensamento. À medida que mais céticos curvam-se a esse diálogo universal on-line, tanto mais o seu Digestivo será revisitado como fonte de referência. Você podia fazer uma edição das melhores matérias de cada década. Seria um balanço alimentador, digestivo e um update indicador de assuntos e sites relevantes para os próximos 10 anos. Abraço e parabéns. E até 2018, 28, 38..."

[Sobre "E assim se passaram dez anos..."]  29/7/2008

 

40. Seres urbanos e ETs

"É isso aí. Seres urbanos sentem-se alienígenas sem noção de tempo e espaço. Às 7 da noite, dentro de suas naves-aquários, encalacradas no trânsito, são abduzidos pelas luzes em volta, e transportados para ilhas paradisíacas." 

[Sobre "Reforma na Paulista e um coração pisado"]  31/7/2008

 

41. Business na caixa de entrada

"O nosso negócio é firme. Nosso negócio está crescendo a olhos vistos. Agora é a hora! É pegar ou largar. Oferecemos solidez para qualquer aplicação de poupança. Nossa área de penetração é considerável. Qualquer um pode administrar nosso negócio com próprias mãos, como se fosse seu. A confiança em nossos membros, será a força na sua retaguarda. Venha para nosso negócio! Deixe nosso negócio entrar na sua caixa de entrada!"

[Sobre "Caixa de entrada (?)"]  31/7/2008

Mais Comentários Guto Maia...

 

42. Idéialândia

"Uma boa idéia bem aplicada, se não der barato, pelo menos trará uma grande chance de cura. Quem é viciado em boas idéias, precisa de doses cada vez maiores... Enquanto a cura não vem, somos ávidos do que vocês têm de sobra. Vocês são uma "ideialândia", digamos assim, onde vamos buscar um prazer fugaz. Depois voltamos ao normal, e precisaremos de mais e mais... Aí, sempre somos compelidos a voltar... Vida longa a vocês e a todos de boa vontade e grandes idéias. Parabéns!"

[Sobre "Cronópios"]  14/8/2008

 

43. Uma boa conversa de amigos

'A Língua Portuguesa é complexa pra quem a estuda. São tantos meandros que uma palavra tem, induz, ou quer parecer, que pira qualquer aprendiz. Exceções às regras, indefectíveis cedilhas, zês, xis - são um emaranhado ilógico para uma criança. Labirintos léxicos e sintáticos embotam o raciocínio. Por isso as entrevistas, em geral (ou, às vezes?), confundem mais que esclarecem (mas, que esclarecem!). Quando o entrevistador tem a perguntar e o entrevistado tem a responder, saímos todos ganhando, como numa boa conversa de amigos. A entrevista da Ana Elisa apresenta uma pessoa generosa, de talento, e com domínio da ferramenta. Tomamos contato de forma inteligente com a "nova" Literatura de quem há muito batalha disciplinadamente com palavras, e tem muito mais a oferecer. A internet já pode mostrar seus frutos mais preciosos amadurecendo. Boas conversas, já não acontecem apenas e tão somente no entorno de chopes gelados com gosto de fumaça. Embora nada anule nada." 

[Sobre "Ana Elisa Ribeiro"]  17/8/2008

 

44. Aqui, sem que ninguém nos leia

"Pessoal e intransferível... Parece que o melhor lugar para escrever algo que ninguém vai ler é um blog. É ótimo para esconder escritos. Melhor que gavetas. Em gavetas (coisa antiga!), alguém sempre acaba achando. É como o adúltero que quer ser descoberto. Seu texto sensível descreve a sensação frustrante e resignada de blogueiro. Lembrou Ionesco, que passou a vida toda tentando provar para o pai que escrevia bem, depois de ter seus escritos de criança bisbilhotados numa gaveta. Seu pai sentenciou que eram muito ruins. O dramaturgo produziu uma vasta obra, na compulsão de desmentir o pai. Ao final da vida curvou-se ao inexorável, afirmando: "Tudo que escrevi é muito ruim. Meu pai tinha razão!" Pois é, quem escreve em blogs descobre que escreve pra si, mas tem a garantia de que seus pais nunca lerão."

[Sobre "Crise existencial blogueira"]  22/8/2008

 

45. Amores paulistanos

"O amor tem dessas coisas. Como disse Itamar Assunção: "Venha até São Paulo ver o que é bom pra tosse! Venha até São Paulo dance e pule o rock and rush. Venha até São Paulo viver à beira do stress. Fuligem catarro assaltos no dia dez". São Paulo produz filhos que a renegam. O orgulho de ser paulistano é instável como a própria cidade. Após cada inalação, volto a amá-la. Qual o perfil do verdadeiro paulistano? Quem vive nos Jardins, no Brás ou na periferia? No Bom Retiro, quem não lê coreano, sente-se estrangeiro diante das placas das lojas. Uma cidade que é de todos, não é de ninguém. Ser filho de quem não é de ninguém, é perturbador. Sabemos cada defeito da nossa mãe, mas quando a ofendem viramos bichos. Mas, amanhã tudo recomeça, e a luta pela sobrevivência volta a nivelar a todos por baixo da poluição. E, no trânsito, blasfemaremos num coro de insensatos alérgicos. Os que lutam com palavras, procurarão fazer justiça com as próprias mãos... O amor tem dessas coisas."

[Sobre "Trauma paulistano"]  26/8/2008

 

46. Blackout na Luz

"Ontem, 5/09, o Bairro da Luz(!), em São Paulo, sofreu um apagão de mais de 5 horas! Hoje, leio no Digestivo que, se por acaso o mundo sofresse um blackout, morreríamos todos de fome em menos de duas semanas. O livro "Universo Elétrico", de David Bodanis, trata do assunto, mas a sua resenha consegue fazê-lo absolutamente mais atraente do que talvez seja, como assunto para leigos. Isso mais uma vez demonstra que a qualidade da síntese consegue "vender" qualquer idéia quando é inteligente e bem feita (e sabe do que está falando). Eu talvez não me interessasse tanto pelo livro se o visse entre outros tantos do mesmo assunto numa livraria. Realmente, somos frutos de várias gerações que sofreram nos laboratórios de física, química e biologia as agruras da falta de conceitos históricos e objetivos da aplicação científica, e que hoje nos fazem muita falta." 

[Sobre "Universo Elétrico, de David Bodanis"]  6/9/2008

 

47. Quem tem educação?

"Um país que privilegia o "se dar bem na vida" a qualquer custo, em vez da criação de um "projeto de vida pessoal", baseado na constância da leitura e no estudo; onde o mau exemplo vem da maioria dos pais, que mentem, enganam e são dissimulados para com os filhos; um país que culturalmente incentiva a polarização dos seus cidadãos entre "espertos" e "manés"; que não protege seu meio ambiente; que produz um eleitor que não sabe em quem votou nas últimas eleições; elege governantes desqualificados, que têm o interesse em perpetuar o status quo vigente degradado, que o geriu, mantém e privilegia. Esse país nos leva a sucumbir e merecer o que temos, embora não aceitemos. E ainda nos deixa a todos culpados pela falta de atitude. Talvez só as novas gerações (que temos a incumbência de educar) possam salvar nosso país. Ainda assim, é preciso que saibamos como educar. Educação começa no exemplo e na ação.A reflexão que você propõe é um bom exemplo de educação. Somos aprendizes de ensinar."

[Sobre "Nossa classe média é culturalmente pobre"]  11/9/2008

 

48. Uma coisa só: 

Ler. [São Paulo - SP] 

[Sobre "Promoção Barqueiro de Paraty"]  25/9/2008

 

49. Respondendo a Amós Oz

"Se fosse escritor, morderia a isca e diria: escrevo para arquitetar o futuro. Por que só consigo escrever assim. Quero leitores inteligentes. Escrevo para reflexão. Apago e corrijo. Jamais serei famoso. Sou positivo. Os outros escritores são melhores. Quem me influenciou foi meu pai. Um mutante, em extinção em público. Todos que me criticam têm razão. Aprendo com eles e faço diferente. Uso caneta, teclado e lápis. Não escrevi nenhum livro. O mundo não precisa. Busco material na vida real com imaginação. Figuras femininas são maravilhosas, e podem pensar o que quiserem, sempre. Fui abandonado por todas. A musa me ordena a escrever na hora certa. Jamais me considerarei escritor. Minha biografia se tornará uma ficção barata. A maioria dos artistas é pura fama e não proveito (já foi dito e cantado). Vida enquadrada. Há lenha e há brasa. Vivo da arte. Fundamento, meio e fim. A musa consola. Lenha e brasa. Todas as anteriores são verdadeiras. Sempre tentarei fazer melhor. E daí? Tudo é o caminho do fim."

[Sobre "Questionário Amós Oz"]  26/9/2008

 

50. Sobre os profílicos

"Uma boa resenha de uma história interessante, de uma efervescente cidade, no momento certo, no veículo adequado. Trapo, Rosana, Manuel e Cristovão Tezza certamente merecem, e agradecem. Abraço."

[Sobre "20 anos de Trapo"]  26/9/2008

 

Guto Maia* - José Augusto Maia Baptista

Gestor educacional

 


 

@comentários

UA-12170444-1