Baixe o som por favor!Baixe o som por favor!

Baixe o som, por favor!

Guto Maia*

O volume de som muito alto pode até matar. Embora não nos damos conta, essa é uma das maiores causas de mortes no mundo.

Em relatório recente elaborado pela OMS (Organização Mundial de Saúde), a orientação é para tomarmos mais cuidado com o excesso de poluição sonora que assola o mundo e particularmente o Brasil.

A poluição sonora ataca não apenas os ouvidos, mas prejudica órgãos vitais, causando doenças como o estresse, hipertensão, doenças vasculares, aumenta o risco de ataques cardíacos, impotência e problemas no feto para mulheres grávidas.

O relatório foi publicado na revista "New Scientist", e estima que cerca de 250.000 pessoas morram por ano por barulho excessivo. É considerado como excesso de volume para o ouvido humano, aquele que está acima de 50 decibéis.

A insônia, a falta de concentração e dores de cabeça são os primeiros sintomas mais notáveis. A constante exposição ao excesso de ruídos, música em alto volume e outras formas de poluição sonora permeiam o nosso cotidiano. Há que se cuidar para que tenhamos melhor bom senso e mais cuidado social com o nosso meio-ambiente, respeitando e promovendo uma convivência mais harmoniosa no nosso entorno. 

Distúrbios como depressão, estresse dos aparelhos respiratórios, circulatório e digestivo, cansaço, aumento da pressão arterial e perda no sistema auditivo são fatores constatados em pessoas expostas a ruídos constantes.

O aprendizado das crianças é prejudicado e o ruído renitente pode causar um zunido permanente em algumas pessoas. São tantos os malefícios causados pelo som alto que a conscientização através da informação e da educação das nossas crianças, jovens e adultos tornou-se assunto prioritário para que não tenhamos aumento considerável de doenças adquiridas que são evitáveis apenas com uma mudança de hábitos.

Pense nisso e imagine que somos todos responsáveis por todos e todos deveríamos zelar por cada um de nós, como uma imensa família humana que só quer o melhor para seus entes queridos.

Consciência e respeito são fundamentais para convivermos em harmonia e para que não haja o prejuízo de muitos por culpa do exagero de poucos, que insistem em não respeitar os princípios básicos da vida em sociedade.

Um ambiente harmônico e seguro só acontecerá com o diálogo e a construção de um bem-estar comum.

Eu não posso viver bem, prejudicando o meu vizinho.

Por gentileza, baixe o som!

O beneficio será de todos, inclusive da própria pessoa barulhenta.

 

Guto Maia Gestor educacional, professor pesquisador de ensino especial, coordenador de formação de jovens cientistas em projetos socioeducativos e tecnológicos. Colunista REVISTA REAÇÃO, consultor de inclusão em conselhos e associações, criador de conteúdo multimeios interdisciplinares e ativista da causa da pessoa com deficiência.

#jovenscientistas #lattes #programageopoliticanomundo #revistareacao #reacao
www.doisdobrasil.com

 

 

Museu da inclusãoMuseu da inclusão


Museu da InclusãoMuseu da Inclusão

 Governo de São PauloGoverno de São Paulo

UA-12170444-1