ENSINO POR OUTRO CAMINHO.ENSINO POR OUTRO CAMINHO.

     SOBRE PROJETO ENSINO POR OUTRO CAMINHO     |      LÍDERES MUNDIAIS DO PROJETO    |     PORTFÓLIO-INOVACAO-CIENCIA-TECNOLOGIA       |      PDF     

Psicologia da educação - prática de ensino

Guto Maia*

 

10/09/20 - Boa noite a todos!  (Read in English)

 

Respondendo às perguntas propostas pela prof. Jessica, gostaria de apresentar algumas considerações a partir da leitura dos textos da plataforma AVA Uni9, associado a convicções pessoais baseadas na experiência da prática docente de ensino adaptado. Espero contribuir nas discussões do fórum propondo uma reflexão sobre o futuro da educação, onde a maioria dos conceitos serão reformulados e construídos para a nova década que se inicia com tantas incertezas.

 

Estamos no marco zero de uma nova era, onde devido a uma convulsão sanitária mundial, as perguntas tornaram-se mais numerosas que as respostas, invertendo a tendência de até então, onde o Google nos dava milhares de respostas convincentes para qualquer questão.

As coisas se inverteram e teremos que nos reinventar como indivíduos e como sociedade, a partir de 2021.

 

a) Contribuição da Psicologia para a Educação

 

A principal contribuição da Psicologia à educação é o mapeamento rigoroso das funções mentais que regem o comportamento cognitivo, intelectivo, social, emocional e afetivo do indivíduo, nas diferentes fases do crescimento e da sua vida adulta em relação ao aprendizado.

 

Esse mapeamento torna-se uma importante ferramenta como auxiliar do educador para traçar estratégias de ensino adequadas às circunstâncias socioculturais dos seus alunos, atendendo à linha ideológica da entidade à qual está subordinado, respeitando as suas próprias competências, com resultados positivos para todos.

 

O aspecto prático mais visível da contribuição da psicologia: colaborar na eficiência das escolhas didáticas em sala de aula direcionadas a cada faixa etária.

 

Num terreno mais amplo, a Psicologia através das várias correntes teóricas de seus pensadores, dá suporte ao docente na própria expectativa pessoal e profissional, diante da pressão de uma atividade onde nem sempre o progresso e os objetivos didáticos são alcançados.

 

A Psicologia torna-se ainda mais fundamental na instrumentalização do professor de ensino adaptado para pessoas com dificuldades de aprendizagem. Ele conviverá com a frustração do baixo aproveitamento dos alunos. Isso gera ansiedade e questionamentos das próprias competências do docente. Nesse sentido, o fortalecimento psicológico do educador será fundamental para que ele não desista.

No mais, a Psicologia pode ser aplicada em todos os momentos de todas relações do indivíduo com o aprendizado.

Ela nos ajuda sobretudo a conviver com as diferenças.

 

Na história da Psicologia, além dos teóricos do universo escolar, várias correntes foram importantes na diversificação das abordagens das quais o professor pode-se valer como referências. Especialmente, educadores ligados ao ensino adaptado de pessoas com transtornos de aprendizado.

Essa especialização será cada vez mais necessária na educação formal de pessoas com deficiências, vulneráveis e idosos, que participarão cada vez mais dos vários níveis da vida acadêmica.

 

b) Algumas características básicas dessas teorias

Psicanálise: Desenvolvida e criada por Freud, essa teoria busca descrever as causas dos transtornos mentais, o desenvolvimento humano, sua personalidade e motivações;

 

Psicologia Analítica de Jung ou Análise Junguiana: Nessa vertente, Jung discorda de algumas teorias de Freud. Aqui, o objeto de estudo principal são os sonhos e o terapeuta busca manter a conversa sempre em torno dos problemas que o levaram até ali.

 

Behaviorismo ou Analítico Comportamental: Como o próprio nome diz, quem utiliza essa linha, irá trabalhar diretamente no comportamento das pessoas.

 

Humanismo: Essa vertente se baseia na aceitação, no conceito de que só conseguimos mudar quando assumimos a nós mesmos que existe um problema que precisa ser tratado. Uma frase do humanista Carl Rogers define bem esse método: “O paradoxo curioso é que quando eu me aceito como eu sou, então eu mudo “.

 

Psicoterapia Corporal ou Reich: Para ele, apenas sentar e falar sobre seus problemas não parecia ser a melhor solução para resolvê-los. Sendo assim, discordando de alguns estudiosos iniciou a psicoterapia corporal.

 

Cognitivo-Comportamental ou TCC: Quem trabalha com essa abordagem terá o seu foco voltado para mudar pensamentos disfuncionais, ou seja, aqueles que nos fazem “perder a fé” em nós mesmos, como o típico “eu nunca vou conseguir fazer isso” ou “eu não faço nada direito”.

 

Gestalt-terapia: Essa abordagem surgiu entre os anos 50 e 60. Sua teoria veio com uma visão mais integrada, colocando em foco mente e corpo como uma unidade, sem cisão. Tem uma visão holística de homem e de mundo, onde um afeta o outro. Acredita que o sentir, o pensar e o agir precisam estar em sintonia e serem respeitados para que haja saúde.

Fonte: https://blog.unis.edu.br/saiba-tudo-sobre-as-principais-abordagens-da-psicologia Acesso em 05/09/2020

 

c) Considerações complementares 

Alguns aspectos onde o conhecimento da Psicologia apresenta-se como um suporte fundamental para os professores do ensino adaptado:

  1. Constituir uma válvula de regulagem para si e para os alunos, no controle da pressão emocional diante da frustração pela fraca absorção de conteúdo pelos educandos;
  2. Baixar as expectativas sobre alunos, pais, instituições empregadoras e sistema de educação como um todo no que se refere ao ensino inclusivo no Brasil;
  3. Tecnologia, usos e costumes. Ter a consciência de que alunos podem ter maiores conhecimentos que o imaginado, graças ao acesso à tecnologia. Não adianta brigar com a tecnologia, mas sim, torná-la sua maior aliada. Para isso é necessário estudo profundo e continuado;
  4. Ajudar a jamais colocar-se na condição de “senhor do saber”, detentor do monopólio do conteúdo. Esse modelo de professor autoritário e prepotente ficou no passado;
  5. Conscientizar-se de que cada nova turma (a cada dia) é uma página em branco, e os avanços nem sempre serão cumulativos nem progressivos, havendo inúmeros retrocessos em diversas ocasiões;
  6. Assumir-se como exemplo para os alunos. Esse é o preço de alguém que se propõe formar novos cidadãos: é importante ter vida pública exemplar;
  7. Antecipar-se às expectativas dos alunos, conhecendo os principais padrões de perfis de educandos;
  8. Há mais um sem número de situações em que a Psicologia ajudará o professor a ter bons resultados, principalmente na preservação da própria saúde emocional.

 

d) Conclusão

Para o docente, Psicologia e Educação são inseparáveis no processo ensino-aprendizagem.

Convicção sobre a atribuição de educar:

“Que as minhas palavras sejam justas com os justos, resistam à hipocrisia dos hipócritas, sejam divertidas para as crianças, confiáveis para os adultos e sóbrias para os sábios.

Mas, cordiais com quem quer que seja, sobretudo. Sou professor”.

 

d) Sobre métodos 

Podemos considerar que a necessidade cria o método que a perpetua, se este não permitir revisões e adaptações constantes às novas necessidades.

O método é sempre conservador e vem da necessidade de organizar a transmissão do conhecimento, para fazer avançar as teorias que suprem as necessidades imediatas de cada época.

Quando a necessidade é suprida ou surgem novas carências mais importantes, o método tem que ser revisto.

É o que está acontecendo no mundo e, particularmente, no Brasil, ante a necessidade da busca de novos caminhos para a Educação.

Como somos carentes há tempos de rumos confiáveis na Educação, é importante revisitarmos todas as teorias educacionais disponíveis na História, reavaliando-as e tentando readequá-las na busca por novos rumos diante dos desafios da próxima década.

 

e) Sobre Lev Semyonovich Vygotsky

Vygotsky considerava as relações sociais como as maiores influências para o desenvolvimento da educação do indivíduo, diferentemente de Piaget, que acreditava nos fatores psicogenéticos.

A Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP), tese vygotskyana, evidencia a convicção na interferência do ambiente social sobre a criança durante o processo de aprendizagem, como definidores da capacidade de aprendizado.

O papel do educador nesse processo é o de mediador, sempre atento às potencialidades individuais de cada aluno para obtenção do maior aproveitamento possível das capacidades. O interacionismo exige papel de liderança atuante, participativa e sensível aos limites das capacidades de cada aprendiz.

Vygotsky direcionou seus estudos para a criação de uma cultura do desenvolvimento intelectual baseada na influência do coletivo sobre o indivíduo, criando a corrente pedagógica de pensamento chamada de socioconstrutivismo ou sociointeracionismo.

A força das teorias vygotskyanas repercutem até hoje, fazendo com que esse psicólogo bielo-russo que morreu há mais de 70 anos (1896-1934), tenha até hoje sua obra em processo de descoberta e debate no mundo e no Brasil.

A atualização dos seus conceitos pode trazer grande contribuição à reconstrução da Educação pela qual passaremos na próxima década.

 

São Paulo, 11/09/2020

*Guto Maia - José Augusto Maia Baptista

RA 25100232 - Licenciatura Ciências Sociais

Campus Vergueiro EAD

 

↑ topo

  


 

@cienciassociais

 


 

1º ESCOLA DO PENSAMENTO FORA DO PADRÃO - ENSINO POR OUTRO CAMINHO

ENSINO POR OUTRO CAMINHOENSINO POR OUTRO CAMINHO

1º CONGRESSO DA PESSOA FORA DO PADRÃO 

CONVITE CONCRESSO INTERNACIONAL DA PESSOA FORA DO PADRÃOCONVITE CONCRESSO INTERNACIONAL DA PESSOA FORA DO PADRÃO

  

CONTATO / CONTACTO / MAILING

Prof. Guto Maia  (José Augusto Maia Baptista)

Gestor de Inovação, Ciência & Tecnologia

Whatsapp 11 993784603

E-mail: maiagutomaia@gmail.com  /    maiagutomaia@uni9.edu.br

1º  ESCOLA DO PENSAMENTO FORA DO PADRÃO – ENSINO POR OUTRO CAMNHO

1º CONGRESSO INTERNACIONAL DA PESSOA FORA DO PADRÃO

www.dosdobrasil.com

 

 


 

Locução: FERNANDA CAMPOSLocução: FERNANDA CAMPOSNOSSA FUNÇÃO SOCIAL

Propósito de Vida: Investir na formação de Jovens Cientistas Assistivos.
Missão: Ensino-Aprendizado.
Valores: Que os nossos alunos sejam a reserva de reputação e amor próprio cultivados dia após dia. Eles nos ajudam a construir um patrimônio de confiança que aumenta em dignidade com o tempo.
É o que espera um professor: produzir aprendizes melhores do que ele conseguiu ser. Senão, não há Epistemologia que evolua solidamente.
O aprendizado se dá por camadas. Ninguém "desaprende" o que aprendeu para aprender algo novo. Portanto, somos a somatória de tudo o que de bom e ruim fizeram os que vieram antes.
Cabe a nós preparar e pavimentar o caminho para os próximos que virão.

ENSINO POR OUTRO CAMINHO - A 1º ESCOLA DO PENSAMENTO FORA DO PADRÃO
www.doisdobrasil.com

 

 

 PORTFÓLIO INOVAÇÃO, CIÊNCIA & TECNOLOGIA

Locução: FERNANDA CAMPOSLocução: FERNANDA CAMPOSPROGRAMA MISSÃO EDUCAR (apresentador: psicólogo DIRCEU MOREIRA) - Dia 08.07.2019
Tema: O Universo da Pessoa com Deficiência
Convidado: Prof. JOSÉ AUGUSTO MAIA BAPTISTA (Guto Maia)
Criador da 1º ESCOLA DO PENSAMENTO FORA DO PADRÃO** - ENSINANDO POR OUTRO CAMINHO*
Pesquisador, Mentor de Jovens Cientistas e Líder Curador de Coletivos voltados à causa sócio educativa da Pessoa com Deficiência.

Tá pelada a coruja! Termo do RS para dizer: ESTÁ FEITO!Tá pelada a coruja! Termo do RS para dizer: ESTÁ FEITO!


Currículo LattesCurrículo LattesAtualize

PEDRO ROSENGARTEN BAPTISTA https://lattes.cnpq.br/5408798786190284 

PROF. JOSÉ AUGUSTO MAIA BAPTISTA https://lattes.cnpq.br/6424194985117315 

Currículo resumido:  https://doisdobrasil.com/guto-maia/curriculo-resumido/

Currículo detalhado: https://doisdobrasil.com/guto-maia/curriculo-detalhado/

Site Oficial: www.doisdobrasil.com

 

UA-12170444-1